Os cuidados dermatológicos que melhoram o seu dia a dia

O que é o eczema de contacto?

O eczema de contacto, também conhecido como dermatite de contacto, é uma inflamação da pele causada por uma reação alérgica após o contacto (normalmente prolongado) com substâncias capazes de penetrar na pele (= agentes alergénicos). A inflamação da pele causa placas de eczema, prurido e um efeito negativo na qualidade de vida.

Tratamento de eczema de contato isolado

Tratar um caso isolado de eczema de contacto é relativamente fácil. No tratamento dos surtos, os corticosteroides tópicos são aplicados para aliviar a inflamação até ao desaparecimento das placas e os emolientes são aplicados para reparar a pele. Para prevenir um novo surto, deve ser completamente evitado o contacto com o agente alergénico em causa. Se o agente alergénico for identificado no contexto profissional, poderá ser necessário adaptar o ambiente de trabalho ou até mudar de emprego. Um exemplo destes casos poderá ser o de uma cabeleireira que desenvolve uma alergia às tintas que aplica todos os dias no cabelo das suas clientes.

Dermatite atópica e eczema de contato

Tenha em atenção que o eczema de contacto pode ocorrer associado à atopia. Por outras palavras, alguém com dermatite atópica apresenta um maior risco de desenvolver eczema de contacto porque a sua pele já se encontra fragilizada e a desempenhar mal o seu papel de barreira protetora.

Pensa-se muitas vezes que o eczema de contacto afeta apenas os adultos, mas a verdade é que também afeta as crianças. Por exemplo, uma menina poderá desenvolver eczema de contacto depois de usar bijuterias de níquel.

Eczema de contato ou dermatite de contato irritativa?

O eczema de contacto não deve ser confundido com a dermatite de contacto irritativa. O aspeto visual é semelhante, mas a causa é muitíssimo diferente. A dermatite de contacto irritativa não se desenvolve devido a uma alergia, mas sim devido ao manuseamento de produtos agressivos e irritantes, como detergentes ou solventes, particularmente num contexto profissional. O trabalhador, seja alérgico ou não, deverá proteger a pele, usando luvas por exemplo. Também neste caso, a pessoa com atopia é mais suscetível do que as outras pessoas.