O que é a dermatite seborreica?

A dermatite seborreica ou seborreia é uma doença comum da pele e do couro cabeludo. É uma patologia benigna e sem gravidade, mas pode causar incômodo e afetar consideravelmente a qualidade de vida por suas manifestações. É caracterizada pela presença de placas vermelhas cobertas por uma caspa branca ou amarelada, em regiões gordurosas da pele ou do couro cabeludo.

As zonas afetadas pela dermatite seborreica

As lesões se desenvolvem nas chamadas “zonas gordurosas” da pele, onde a secreção de sebum é mais abundante. As zonas mais afetadas são o couro cabeludo, a dobra entre o nariz e as bochechas (conhecido como “sulco nasogeniano”), bem como nas sobrancelhas e no espaço entre elas, ou mesmo no tronco. Em um mesmo paciente, a dermatite seborreica nem sempre se limita a uma única zona e pode afetar vários lugares.

A dermatite seborreica do couro cabeludo

A dermatite seborreica do couro cabeludo é a forma mais comum da doença Em 95% dos casos(1) de dermatite seborreica, o couro cabeludo está afetado, isoladamente ou com outras áreas (face, tronco...).
Caracteriza-se por um estado descamativo difuso, na presença de uma caspa gordurosa, amarelada e pegajosa nos cabelos, frequentemente combinada com um excesso de sebum, um eritema ou vermelhidões e coceiras muito intensas. Mas também pode manifestar-se como uma caspa seca no couro cabeludo.

A dermatite seborreica da face

A dermatite seborreica da face é a forma mais exposta da doença. Embora seja menos comum do que a dermatite seborreica do couro cabeludo (95% dos casos(1)), a fase é afetada em mais de 60% dos casos(1) de dermatite seborreica. As escamas ou pequenas placas de pele podem ser maiores ou menores na face, gordurosas e, às vezes. Com crosta. A coceira é menos intensa na fase do que no couro cabeludo.

A dermatite seborreica do tronco

A dermatite seborreica do tronco é muito menos frequente do que a dermatite seborreica da face (60% dos casos(1)) ou do couro cabeludo (95% dos casos(1)), mas afeta a cerca de 30% dos pacientes com a doença(1). Provoca o surgimento de placas vermelhas e escamosas no meio do tórax e, com menor frequência, no ombro.

O diagnóstico diferencial da dermatite seborreica

As manifestações visíveis dessa doença são suficientes para o(a) médico(a) definir o diagnóstico. Mesmo assim, em alguns casos, as lesões podem ser semelhantes às da psoríase (LIGAÇÃO BANCO PSO), eczema, ou rosácea.
Por isso, às vezes pode ser difícil diferenciar estas três patologias:

● O eczema manifesta-se por meio de placas vermelhas com vesículas (bolhas com um líquido claro no interior) e coceiras muito intensas associadas com ressecamento da pele. Às vezes é difícil notar a diferença entre o eczema e a dermatite seborreica. De um modo geral, o que possibilita distinguir entre ambas patologias é a localização das lesões. As lesões do eczema estendem-se muito além das regiões conhecidas como “gordurosas” e costumam aparecer nas dobras das articulações (cotovelos, joelhos...).

● A psoríase se caracteriza por lesões eritematoescamosas. Psoríase ou dermatite seborreica? Nem sempre é fácil diferencia-las.
As lesões da psoríase são mais secas, mais espessas, mais eritematosas, estão mais bem delimitadas e se concentram principalmente em áreas de fricção, como cotovelos, joelhos, canelas, sacro... Quando se trata do rosto, é mais difícil diferenciá-las: neste caso falamos de sebopsoríase.
  • A rosácea, de origem vascular, caracteriza-se pela formação de manchas vermelhas crônicas no nariz, bochechas e, por vezes, no queixo e na fronte. Esses sintomas podem estar acompanhados de sensação de formigamento. Às vezes, as lesões provocadas pela rosácea podem parecer com as da dermatite seborreica, mas há um jeito de diferenciá-las: a ausência de escamas na superfície.

A dermatite seborreica do lactente

Quando a dermatite seborreica afeta os lactentes, é chamada de crosta láctea (LIGAÇÃO BANCO CROSTA LÁCTEA). Aparece desde as primeiras semanas de vida. Assim como na dermatite seborreica dos adultos, é causada, entre outras coisas, por uma levedura do gênero Malassezia que se desenvolve em quantidades excessivas na pele de certos bebês.
Há três tipos de dermatite:
  • A que afeta o couro cabeludo
  • A que afeta as nádegas
  • As que causam lesões nas dobrinhas da pele
Em lactentes, recomenda-se utilizar produtos específicos adaptados para tratar a crosta láctea (LIGAÇÃO BANCO CROSTA LÁCTEA).
(1) Misery L. Dermatite séborrhéique. EMC - AKOS Tratado de Medicina. (2011), págs. 1-5

Nossas rotinas de cuidado

 
Minha rotina anti-caspa DS

Ação contra placas de caspa oleosa com vermelhidão e coceira

Teste esta rotina Minha rotina anti-caspa DS > Ver a minha rotina
Ver todas as rotinas de cuidados