Os cuidados dermatológicos que transformam o seu dia a dia

PSORÍASE

A psoríase é uma doença de pele frequente que pode manifestar-se através de sintomas cutâneos e extra cutâneos muito variados, a qualquer idade. As consequências são físicas e psicológicas: o olhar dos outros e o olhar voltado para si próprio podem tornar-se rapidamente insuportáveis. Este dossiê temático tem por objetivo responder a todas as perguntas sobre a psoríase, de forma a combater um certo número de preconceitos e ajudar quem sofre de psoríase a viver melhor no dia a dia.

O QUE É PSORÍASE?

A psoríase: é uma doença inflamatória autoimune, significa que pode surgir quando o sistema imunitário está em baixa. Manifesta-se na maioria das vezes na pele e em períodos de crise: a pele muda mesmo de aspeto e fica coberta de placas. As placas podem ser mais ou menos extensas, completamente vermelhas ou cobertas por uma camada espessa esbranquiçada, as escamas, dependendo do tipo de psoríase. As placas de psoríase são muito desconfortáveis, sente-se muito prurido - o que só agrava a situação, numa fase de crise.

A psoríase é também uma doença extra cutânea: antes, durante e após o aparecimento das primeiras placas, podem surgir dores articulares. Designa-se por artrite psoriática e para além de afetar todas as articulações (coluna vertebral, joelhos, dedos, etc), causa muita dor.

A psoríase é uma doença que pode atingir tanto adultos como crianças. Não é uma doença contagiosa, ou seja, não se contagia ao toque.

QUAIS SÃO AS CAUSAS?

Há certas causas da psoríase que são conhecidas, outras ainda não. Por isso, o essencial é compreender bem o que acontece na pele. Os mecanismos microscópicos da psoríase mobilizam células imunitárias e células cutâneas: tudo se acelera muito rapidamente e conduz a um estado inflamatório na origem das placas visíveis e/ou das dores sentidas.

As crises de psoríase são desencadeadas ou agravadas por fatores vários ambientais, como:
  • condições climáticas;
  • certos medicamentos;
  • consumo de álcool e de tabaco;
  • estresse;
  • traumatismos cutâneos.
A psoríase depende, entre outros, da presença de genes de predisposição, o que explica a existência de um certo número de casos familiares. Mas não se herda diretamente! Herda-se genes dos seus pais que, devido a certos fatores ambientais, manifestam-se, ou não, ao longo da vida.

SINTOMAS

A psoríase é uma doença bem conhecida pelos dermatologistas, bastante fácil de reconhecer pois seus sintomas são, geralmente, muito típicos.

A psoríase, em sua forma mais comum, é marcada por placas vermelhas, bem delimitadas, cobertas por espessos pedaços de peles mortas e esbranquiçadas, chamadas escamas. As comichões, ligadas às placas de psoríase, podem ser intensas, difícil de resistir.

Coçando, retira-se a camada de escamas, a placa vermelha fica exposta e pode sangrar. Coçar-se só aumenta o tempo de cicatrização e da resolução da crise. Idealmente, as escamas deveriam cair sozinhas, sem intervenção alguma.

Fora dos períodos de crise, a pele fica muitas vezes seca, frágil, sensível, e precisa de ser tratada com o maior cuidado.

ÁREAS AFETADAS

A psoríase em placas atinge as áreas de atrito como os cotovelos, os joelhos, as pernas e a parte inferior das costas. O couro cabeludo também é frequentemente afetado.

Mas, sabia que a psoríase também pode atingir o rosto, as unhas, as palmas das mãos, as plantas dos pés e até as partes genitais? Existem tantas psoríases quanto ao número de pessoas afetadas.

TRATAMENTOS

Os tratamentos da psoríase são marcados por uma grande diversidade, mas têm um ponto comum: são tratamentos sintomáticos que eliminam os sinais da crise, mas não impedem o desenvolvimento de uma nova crise. Em outras palavras: ainda não existe um tratamento definitivo da psoríase. O tratamento é adaptado a cada pessoa, em função do seu percurso, da história da sua psoríase, dos seus desejos e das suas expectativas.

Os cremes, especificamente aqueles à base de corticoides e de derivados da vitamina D, são, geralmente, a prescrição inicial e podem ser suficientes se a psoríase for pouco extensa.

Caso não sejam suficientes, existem outros tratamentos a se recorrer, por exemplo, tratamentos por via oral. Os casos mais severos agora são tratados com injeções chamadas bioterapias. A fototerapia e as curas termais também são opções interessantes para aliviar as crises de psoríase. Há muita investigação sobre esta doença e todos os anos surgem novos tratamentos!

Há muitos tratamentos complementares que podem ajudar quem sofre de psoríase, mas não devem substituir o tratamento prescrito pelo dermatologista.

A PSORÍASE NO DIA A DIA

No caso de ter psoríase, não mude a sua vida na totalidade. Apenas siga algumas recomendações e cuidados fundamentais para viver confortável com a sua pele:
  • a higiene e a limpeza da pele são essenciais e devem ser feitas com suavidade, utilizando os produtos adequados;
  • adotar uma alimentação saudável e equilibrada;
  • evitar o consumo de álcool e o tabaco;
  • aproveitar os benefícios do sol, mas sempre com proteção solar;
  • para eficácia, o tratamento prescrito pelo dermatologista deve ser cumprido e seguido corretamente.

No caso de ter mais dificuldade com o tratamento ou com a psoríase, falar sobre o assunto com pessoas próximas, com a equipe de cuidados, ou mesmo com outros doentes que sofrem do mesmo, pode ajudar a exteriorizar as suas angústias e a encontrar outras soluções.

Nossas rotinas de cuidado

 
Minha rotina anti-caspa PSO

Ação contra a caspa seca com vermelhidão e coceira

Teste esta rotina Minha rotina anti-caspa PSO > Ver a minha rotina
Ver todas as rotinas de cuidados