Os cuidados dermatológicos que transformam o seu dia a dia

O QUE É A PSORÍASE?

A psoríase é uma doença inflamatória crôica da pele. É uma doença inflamatória, devido à presença de placas avermelhadas espessas que causam muito prurido. É uma doença crônica, devido à alternância e espaçamento dos períodos de crise e dos períodos de remissão. A psoríase pode atingir ambos os sexos, todas as idades e todas as categorias socioprofissionais. Não é uma doença contagiosa ou provocada por falta de higiene.

A PSORÍASE NÃO É UMA DOENÇA CONTAGIOSA

É uma doença visível, que pode chamar a atenção dos olhares alheios, causa mal-estar e desconforto. Por isso, algumas pessoas afetadas acabam se isolando. Conhecer melhor a doença é uma maneira melhor de aceitá-la e viver melhor no dia a dia. Isso tanto para o paciente, quanto para os profissionais de saúde, melhorando os cuidados e a convivência.

Qual é a aparência da psoríase?

Depende. A forma mais frequente é a chamada psoríase em placas, que é marcada por placas bem delimitadas, vermelhas, mas cobertas com escamas espessas brancas. As zonas onde surgem são muito características: os cotovelos, os joelhos, a parte inferior das costas etc. Outras zonas afetadas são: o couro cabeludo, as unhas, o rosto. Qualquer que seja a parte do corpo afetada, o prurido e o desconforto podem ser intensos. Quando a psoríase é muito extensa, o incómodo é ainda maior e pode impedir certas atividades. Nesse caso, é muito difícil evitar coçar e de arrancar as escamas, mesmo sabendo que isso só faz agravar a crise.

FORMAS DE PSORÍASE

Existem outras formas de psoríase que, visualmente, são às vezes muito diferentes da psoríase em placas. No entanto, trata-se da mesma doença que se manifesta de forma diferente. Entre as formas mais conhecidas e mais frequentes,
  • A psoríase gutata é marcada por lesões muito numerosas e muito pequenas, em geral de alguns milímetros;
  • Na psoríase numular, as lesões são maiores e parecem com uma moeda;
  • A psoríase inversa ou psoríase das dobras é, como seu nome indica, uma psoríase essencialmente localizada nas dobras, com placas muito vermelhas e na maioria das vezes sem escamas;
  • A psoríase eritrodérmica e a psoríase pustulosa são mais raras, mas também são mais graves, estas necessitam de um tratamento rápido e imediato.

A pele não é o único órgão afetado pela psoríase.

A inflamação crônica também pode afetar as articulações. A artrite psoriática, também chamada por psoríase articular, atinge cerca de 15% dos pacientes, com ou sem lesões cutâneas associadas, o que torna o diagnóstico às vezes difícil. As principais articulações visíveis são, por um lado, as da coluna vertebral (acometimento axial) e, por outro lado, as dos dedos, dos dedos dos pés, dos tornozelos, dos joelhos (acometimento periférico). Os principais sintomas da artrite psoriática: dores, inchaços, dificuldade em levantar de manhã e deformações articulares a longo prazo e na ausência de tratamento.

A maioria dos tratamentos orais e das bioterapias são ativos nos dois tipos de inflamação: cutânea e articular. As dores não são visíveis como as placas, mas são igualmente invalidantes na vida do dia a dia. Por isso é essencial falar das dores ao seu médico com o fim de beneficiar rapidamente de um tratamento adaptado à artrite psoriática.

PSORÍASE DURANTE A GRAVIDEZ

A psoríase pode surgir em todos os momentos da vida. A psoríase durante a gravidez é fonte de inúmeras interrogações e de inúmeras angústias por parte dos futuros pais.

Assim que um casal deseja ter um bebê, o dermatologista deve ser consultado para prescrever os tratamentos adequados, e se necessários modificar, os utilizados atualmente, para torná-los compatíveis com a gravidez. O mesmo se deve fazer para a amamentação. Quanto à evolução da psoríase, é muito imprevisível, apesar de a maioria das mulheres grávidas que têm psoríase melhorem o estado da sua pele nessa altura. Infelizmente, este efeito benéfico é temporário, devido à possibilidade de uma crise após o parto.

A transmissão da doença ao bebê é igualmente imprevisível pois os fatores genéticos da psoríase não são totalmente conhecidos e são, na maioria das vezes, associados a fatores ambientais desencadeantes. É uma incógnita. A doença pode começar na idade adulta ou desde a infância.

A psoríase na criança pode aparecer desde a primeira infância com a psoríase nas dobras sob as fraldas (“psoríase das fraldas”). A infância é um período difícil para o tratamento da psoríase, pois a criança não compreende o interesse de se tratar, é preciso correr atrás dela para aplicar o creme, é preciso negociar o tempo todo e encontrar ideias para evitar que se coce: deve-se colocar frio sob todas as suas formas (spray de água termal, parte de trás de uma colher…) e às atividades desportivas e recreativas para distrair a criança.

Nossas rotinas de cuidado

 
Minha rotina anti-caspa PSO

Ação contra a caspa seca com vermelhidão e coceira

Teste esta rotina Minha rotina anti-caspa PSO > Ver a minha rotina
Ver todas as rotinas de cuidados