O que provoca a caspa?

A caspa é um problema comum do couro cabeludo. É identificada muito facilmente: caracteriza-se pela presença na superfície do couro cabeludo de pequenas escamas brancas, cinzentas ou amareladas formadas por células mortas. Pode ser acompanhada de prurido e irritação da pele. Tem várias causas e envolve diversos mecanismos complexos.

Os mecanismos identificados

A caspa é provocada simplesmente por um processo de renovação celular acelerado. As células epidérmicas são normalmente renovadas ao longo de um período de 21 a 28 dias.
Quando há caspa, são renovadas mais rapidamente, ao longo de 5 a 14 dias(1). Deixa de haver tempo suficiente para eliminar gradualmente as células da epiderme, pelo que acabam por se acumular numa massa de escamas (aglomerados de células epidérmicas mortas) habitualmente conhecida como caspa.
A aceleração da renovação celular é causada por um distúrbio no couro cabeludo induzido por vários mecanismos.

Produção de sebo pelas glândulas sebáceas reduzida ou excessiva(3)

Quando é produzido em quantidades normais, o sebo não só desempenha um papel crucial na hidratação da pele e do couro cabeludo, como também os protege das agressões externas. Quando a sua produção é reduzida, a pele fica seca. Quando é excessiva, favorece o crescimento de um fungo do género Malassezia que contribui para a formação de caspa.

Proliferação de fungos Malassezia

Os fungos do género Malassezia estão naturalmente presentes na superfície do couro cabeludo. No caso específico da caspa, proliferam exageradamente. São fungos lipofílicos, o que significa que se alimentam de nutrientes lipofílicos. Os lípidos que o sebo contém são uma excelente fonte de alimento para eles. Quanto mais se alimentam, mais se desenvolvem, o que pode originar inflamação e irritação que, por sua vez, provocam descamação.

Sensibilidade individual do couro cabeludo

Não há qualquer explicação para o facto de algumas pessoas com o couro cabeludo oleoso ou seco desenvolverem caspa e outras não. A variabilidade e sensibilidade é específica de cada indivíduo e reflete uma predisposição para a formação de caspa que, infelizmente, é impossível mudar.

Como pode ver, há muitas causas de caspa. Depois de se compreenderem as causas da caspa e quando se souber de onde surge a caspa, poderá ser implementado um tratamento adequado, direcionado e eficaz.

Portanto, certas pessoas são “naturalmente” propensas à caspa, ou seja, têm uma maior tendência para a sua formação, enquanto outras poderão desenvolver caspa no cabelo sob a influência de vários fatores. Excesso de trabalho, estilo de vida desequilibrado, má utilização de produtos cosméticos e até o stress podem provocar um surto de caspa .

Para compreender melhor o que provoca a caspa, é preciso distinguir a caspa seca da caspa oleosa. Se tiver dúvidas, não hesite em pedir conselho ao seu médico ou farmacêutico.

O que provoca a caspa seca?

A caspa seca apresenta-se em escamas pequenas e brancas que se desprendem muito facilmente e, por isso, se encontram não só no cabelo como também na roupa e, especialmente, nos ombros.
A caspa seca desenvolve-se no couro cabeludo seco. Quando há uma produção reduzida de sebo, o filme hidrolipídico à superfície da camada córnea (a camada mais exterior da pele) é de fraca qualidade e a função protetora da barreira lipídica fica comprometida. Este comprometimento da barreira leva à perda de água no couro cabeludo, tornando-o seco. Isto origina a descamação e o aparecimento de caspa à superfície da pele.

O que provoca a caspa oleosa?

Por que motivo a caspa se desenvolve no couro cabeludo oleoso? Simplesmente porque as glândulas sebáceas estão a produzir sebo em excesso.
Este aumento da quantidade de sebo no couro cabeludo promove a proliferação de fungos Malassezia (Malassezia globosa, Malassezia restricta)(2). Estes fungos alimentam-se principalmente de lípidos. Causam então uma reação que resulta na inflamação, irritação e descamação do couro cabeludo.
A caspa oleosa causa prurido mais intenso do que a caspa seca, pois o couro cabeludo está mais inflamado.

Depois de se compreenderem as causas da caspa, poderá ser implementado um tratamento sintomático adequado para a eliminar. No entanto, infelizmente ainda não há cura para a caspa, pelo que poderá reaparecer. Por isso, vale a pena identificar os fatores externos que podem perpetuar o processo e provocar a caspa (por exemplo, uso de champôs inadequados, stress, etc.).

(1) https://dermato-info.fr/, French Society of Dermatology.
(2) The Society for Investigative Dermatology, Malassezia globosa and restricta: Breakthrough Understanding of the Etiology and Treatment of Dandruff and Seborrheic Dermatitis through Whole-Genome Analysis, Thomas L. Dawson Jr 1, 2007.
(3) J. Cosmet Dermatol. 2020; 00:1-7. Biophysical characteristics of dandruff-affected scalp categorised on the basis of sebum levels. Ji-Seon Yoon PhD, Jiyong Shim MS, Jun-Man Lim MS, Sun Gyoo Park MS.

Nossas rotinas de cuidado

 
A minha rotina anticaspa seca

Ação sobre a caspa não pegajosa: efeito "pó branco" sobre os ombros

Teste esta rotina A minha rotina anticaspa seca > Ver a minha rotina

 
A minha rotina anticaspa oleosa

Ação sobre caspa pegajosa e couro cabeludo oleoso

Teste esta rotina A minha rotina anticaspa oleosa > Ver a minha rotina
Ver todas as rotinas de cuidados