Sintomas da crosta láctea

A crosta láctea é uma patologia muito frequente e muito característica no bebé. As lesões são típicas, facilmente identificáveis e, felizmente, não são graves para o bebé.

A crosta láctea é benigna

A crosta láctea é uma forma ligeira a moderada de dermatite seborreica no bebé. Surge geralmente em bebés recém-nascidos, entre as duas semanas e os três meses de idade. É benigna e não causa qualquer desconforto, mas os pais poderão achá-la inestética.
A crosta láctea tende a desaparecer naturalmente ao longo do tempo, mas há soluções para a tratar e promover a sua remoção, evitando que persista ou alastre.

Quais são os sintomas da crosta láctea?

É fácil reconhecer a crosta láctea. Na maioria dos casos, as lesões são muito características e o médico do bebé estabelecerá o diagnóstico muito rapidamente.

As lesões caracterizam-se pela presença de placas eritematosas (vermelhidão) na cabeça e sobre a fontanela anterior (espaço membranoso situado no topo do crânio). Essas placas encontram-se cobertas por escamas espessas, oleosas, brancas ou amarelas, ou células mortas, que aderem fortemente ao couro cabeludo e ficam agarradas ao cabelo.

Estas lesões podem estar rodeadas por zonas de pele avermelhada. Inicialmente aparecem no topo da cabeça, mas podem espalhar-se e, em alguns casos, acabar por cobrir grande parte do couro cabeludo. Podem inclusive estender-se do couro cabeludo até à parte de trás das orelhas, às raízes das pestanas e às sobrancelhas.

Em casos raros, pode observar-se simultaneamente uma erupção cutânea de cor vermelho vivo na região da fralda, situações em que a patologia é mencionada como "bipolar".

Esta manifestação de dermatite seborreica no couro cabeludo do bebé denomina-se “crosta láctea” por ter um aspeto semelhante ao do leite seco sobre uma chapa quente. Contudo, a patologia nada tem a ver com o leite ou a dieta do bebé. Felizmente, a crosta láctea não origina qualquer incómodo ou desconforto no bebé e desaparece espontaneamente, na maior parte dos casos após algumas semanas ou alguns meses.

De que forma se pode distinguir a crosta láctea da dermatite atópica ou da psoríase?

Normalmente, os sintomas da crosta láctea permitem um diagnóstico fácil e óbvio. No entanto, em casos raros, especialmente quando as nádegas ou o rosto são também afetados, pode ser difícil distingui-la da dermatite atópica ou da psoríase de início precoce.
  • A dermatite atópica é geralmente distinguida pelo facto de raramente haver escamas na superfície das lesões e, muitas vezes, haver uma alteração do estado geral do bebé devido ao prurido e à dificuldade em dormir.
  • Em contrapartida, distingui-la da psoríase pode ser mais difícil, pois as placas desta tendem a apresentar-se cobertas por escamas como na crosta láctea. No entanto, no caso da psoríase, as escamas são brancas, enquanto na crosta láctea são esbranquiçadas ou amareladas.
O médico ou pediatra do bebé recorrerá a critérios específicos, incluindo à história familiar, para diferenciar estas patologias e estabelecer o diagnóstico correto.

Complicações da crosta láctea

Há também uma forma particular, extremamente rara, de crosta láctea denominada doença de Leiner.

É uma forma generalizada da doença que ocorre nos primeiros meses de vida. A erupção cutânea afeta as nádegas, o couro cabeludo e as pregas cutâneas do pescoço, das orelhas e dos braços. As lesões são escamosas e amareladas, mas não afetam o estado geral do bebé nem causam prurido. A patologia consiste geralmente num quadro em que as lesões se estendem para outras zonas do corpo.

O origem desta patologia não está ainda esclarecida, mas é extremamente rara e tende a resolver-se espontaneamente.