Os cuidados dermatológicos que melhoram o seu dia a dia

O que é a queda de cabelo?

A queda de cabelo é um motivo de consulta frequente em dermatologia. No entanto, as diferentes quedas (eflúvio telógeno agudo ou crónico, alopécia androgenética ou alopécia senescente) são devidas a disfuncionamentos diferentes do couro cabeludo. E por isso, devem ser tratadas diferentemente.

Queda de cabelo e ciclo do cabelo estão intimamente ligados

O desenvolvimento do cabelo é de natureza cíclica: isto é, ciclo do cabelo. Este último é caracterizado por uma sucessão de três fases bem definidas e durante as quais o cabelo cresce, persiste, regride e depois cai.

  • A fase anágena corresponde ao crescimento do cabelo. Durante esta fase que dura 2 a 6 anos, as células da papila dérmica multiplicam-se ativamente. A haste capilar, produzida pelo folículo piloso, cresce cerca de um centímetro por mês.
  • A fase catágena dura 2 a 3 semanas. Durante esse período de transição entre as fases anágena e telógena, o folículo piloso fica inativo e os cabelos param de crescer.
  • A fase telógena corresponde à eliminação dos cabelos considerados como “mortos”. Estes últimos são substituídos por outros cabelos. A queda de cabelo acontece quando uma nova fase anágena começa. Esta etapa estende-se por um período de 2 a 3 meses.

Ao longo de uma vida, o folículo piloso encadeia 25 a 30 ciclos em média. E, felizmente, o número de cabelos que nascem é sempre amplamente superior ao número de cabelos que caem: perder 25 a 60 cabelos por dia é considerado por todos os profissionais de saúde como algo de normal.

Queda de cabelo ocasional, crónica, alopécia androgenética e senescente: males diferentes

A queda de cabelo pode ser muito diferente de um indivíduo para outro. Existem três grandes famílias de queda: a queda de cabelo ocasional (eflúvio telógeno agudo e eflúvio anágeno), a queda de cabelo crónica (eflúvio telógeno crónico, alopécia androgenética) e a alopécia senescente.

Eflúvio telógeno agudo

O eflúvio telógeno agudo constitui a forma mais frequente de queda de cabelo na mulher. É caracterizada pela ocorrência de um aumento da queda de cabelo 3 a 4 meses após um fator desencadeante. É por isso que se fala igualmente de queda reacional. A queda de cabelo sazonal é, por exemplo, uma forma de eflúvio telógeno agudo.

O ciclo capilar é perturbado, resultando numa perda precipitada, difusa e simultânea dos cabelos. A proporção de cabelo em fase anágena passa então a 70%, (vs 85% fisiologicamente) enquanto que a proporção em fase telógena aumenta de 30% (vs menos de 10% fisiologicamente). A queda de cabelo pode atingir 300 cabelos por dia contra 25 a 60 habitualmente num couro cabeludo normal.
 
O stress, o regime hipocalórico, o pós-parto, a pós-cirurgia, a mudança de estação: nestes casos, o eflúvio telógeno é considerado como agudo. Uma vez identificada e eliminada a origem da queda, o prazo de crescimento constatado é de cerca de 6 meses.

Eflúvio anágeno

O seu prazo de aparecimento é bastante rápido,apenas em alguns dias a algumas semanas. A consequência é uma queda brutal com alopécia difusa muitas vezes severa podendo atingir até 80% dos cabelos e podendo afetar tanto os homens quanto as mulheres.

Esta forma de queda essencialmente observada após a administração de tratamentos anticancerígenos como a quimioterapia ou a exposição da cabeça e/ou do pescoço durante sessões de radioterapias.

O que é a alopécia androgenética?

Por trás da definição da alopécia androgenética esconde-se uma queda de cabelo crónica (superior a 6 meses) que atinge principalmente os homens. Esses episódios de queda de cabelo evoluem para uma diminuição da densidade capilar.
 
O mecanismo de ocorrência da alopécia androgenética é hormonal e implica os receptores de andrógenos presentes na papila dérmica. Esses receptores de testosterona hipersensíveis são estimulados pela dihidrotestosterona (composto ativo da testosterona), desencadeando a miniaturização do folículo piloso. Isso contribui para a modificação do ciclo natural do cabelo acelerando a sua velocidade de crescimento. Esta ação cansa o couro cabeludo: os cabelos tornam-se finos até pararem de crescer.
 
A calvície é um estágio avançado da queda androgenética e é também a forma mais frequente de queda de cabelo no homem. Muitas vezes hereditária, pode ocorrer muito cedo, às vezes desde os 20 anos. Neste caso, observa-se geralmente uma alopécia localizada em certas zonas, nomeadamente ao nível da testa e dos golfos temporais.

Nossas rotinas de cuidado

 
A minha rotina antiqueda de cabelo Mulher (menos de 6 meses)

Ação sobre a queda de cabelo ocasional (causas: stress, fadiga, pós-parto, mudança de estação….)

Teste esta rotina A minha rotina antiqueda de cabelo Mulher (menos de 6 meses) > Ver a minha rotina
Ver todas as rotinas de cuidados