Os cuidados dermatológicos que melhoram o seu dia a dia

A queda de cabelo na mulher

Que se trate de uma queda ocasional ou crónica, os elementos desencadeantes de uma queda de cabelo feminina nem sempre são simples de identificar.

De onde vem a queda de cabelo na mulher?

Seja ela ocasional ou crónica, a queda de cabelo feminina é uma afecção que pode provocar uma profunda aflição psicoemocional. Mas então, o que é a queda de cabelo já que é normal perder, de acordo com os cientistas, entre 25 e 60 cabelos por dia…? Quando é que é preciso alarmar e consultar para tratar essa patologia?
 
A queda de cabelo aguda e difusa constitui a forma mais frequente. É caracterizada de modo geral por um aumento da queda de cabelo em fase telógena 3 a 4 meses após um fator desencadeante: stress, fadiga, diminuição da taxa de estrogénios após o parto... Fala-se mais frequentemente de queda passageira ou reacional. Aquela que os dermatologistas chamam “eflúvio telógeno agudo” provoca uma queda de cabelo na mulher, mas totalmente reversível e cuja duração é inferior a 6 meses.
 
Esta queda de cabelo aguda atinge a totalidade dos cabelos, tendo às vezes um acometimento um pouco mais localizado ao nível das têmporas. Em comparação, a queda de cabelo masculina segue um esquema bem estabelecido: os cabelos caem da testa à parte de cima da cabeça. Fala-se de alopécia no homem. A sua origem é maioritariamente hereditária.

Queda de cabelo na mulher, o que fazer?

A queda de cabelo feminina difusa, seja ela aguda ou crónica dá a impressão, diante do espelho, de uma cabeleira menos densa e de uma sensação de transparência ao nível das raízes.
 
É preciso começar por consultar um dermatologista, pequenos gestos simples são igualmente recomendados para lutar contra esse desconforto fisiológico. No dia a dia, adapte a sua rotina de cuidados capilares e trate os seus cabelos com delicadeza para não os fragilizar ainda mais. Atenção também à utilização muito frequente de aparelhos de aquecimento tipo ferro de alisar, modeladores de caracóis e escova aquecida. O bom reflexo seria banir o uso desses aparelhos, senão espaçar ao máximo a sua utilização. As vitaminas e minerais têm um papel fundamental no ciclo capilar normal, particularmente na renovação das células matriciais do bulbo do cabelo. Procurem então fornecer a justa dose de nutrimentos e vitaminas (nomeadamente as vitaminas B2, B3, B5, B6, B8 e B9), através de uma alimentação equilibrada ou uma cura de complementos alimentares. A cura é uma opção interessante para acrescentar a uma dose suplementar de vitaminas ao seu organismo e tornar o seu cabelo mais forte e mais resistente.

Alopécia na mulher negra ****: um fenómeno frequente

De acordo com um estudo apresentado pela revista mensal americana International Journal of Dermatology, 11% das mulheres negras têm queda de cabelo contra 5% das mulheres de origem caucasiana. Esta queda de cabelo intensa na mulher negra não é fisiológica, mas mecânica. Os cabelos crespos são frequentemente submetidos às tranças e à colocação de extensão. As trações repetidas sobre esses cabelos têm um impacto direto sobre o bulbo do folículo piloso, pois é danificado e acaba por cair. Os produtos químicos utilizados durante os alisamentos também sensibilizam os cabelos afro provocando às vezes uma grande queda de cabelo na mulher.

Nossas rotinas de cuidado

 
A minha rotina antiqueda de cabelo Mulher (menos de 6 meses)

Ação sobre a queda de cabelo ocasional (causas: stress, fadiga, pós-parto, mudança de estação….)

Teste esta rotina A minha rotina antiqueda de cabelo Mulher (menos de 6 meses) > Ver a minha rotina
Ver todas as rotinas de cuidados