Tratar a crosta láctea diariamente

Benigna, mas inestética, a crosta láctea é frequente no bebé. Apresenta-se na forma de pequenas placas ou escamas, esbranquiçadas ou amareladas, visíveis no couro cabeludo do bebé recém-nascido. As crostas podem ter vários graus de espessura e resultam de uma hiperseborreia acompanhada da proliferação de um fungo naturalmente presente na superfície da pele.

Hábitos corretos na vida diária

Estas placas não originam qualquer incómodo ou desconforto no bebé. No entanto, é importante controlá-las e adotar algumas regras de higiene para prevenir o seu alastramento.

Consulte o seu médico ou farmacêutico para obter aconselhamento sobre os produtos e cuidados mais adequados para o seu bebé. Os produtos específicos para o cuidado da crosta láctea atuam, preferencialmente, combinando duas ações complementares:
  • ação hidratante para amolecer as escamas da crosta láctea,
  • ação queratolítica para favorecer a sua eliminação.
Depois de aplicar o produto de cuidado da pele, use uma escova de cabelo de cerdas macias para remover as crostas que, graças ao produto, começam a soltar-se do couro cabeludo.

Além dos tratamentos recomendados pelo seu médico ou farmacêutico, é essencial usar também produtos suaves para a limpeza da pele e do cabelo, especificamente desenvolvidos para recém-nascidos, de forma a evitar o agravamento da irritação do couro cabeludo.

Remédios alternativos para a crosta láctea

A procura por produtos mais naturais é uma tendência crescente na nossa sociedade. Este desejo por produtos naturais torna-se muitas vezes ainda mais pronunciado antes de um evento significativo, como é o nascimento de um bebé, o que explica o porquê de alguns pais preferirem usar os chamados remédios “naturais”.

O primeiro tratamento natural da crosta láctea consiste em não fazer nada e esperar que a crosta láctea despareça espontaneamente. É necessário ter paciência, pois isso pode demorar bastante tempo. Algumas crianças mantêm crostas até aos dois ou mesmo três anos de idade.

Para quem não quer esperar que o tempo faça efeito e pode recorrer a alternativas de tratamento, isso é uma possibilidade, mas esses remédios não substituem as recomendações do médico do bebé, que deverão continuar a ser cumpridas. Não hesite em abordar esse assunto com o pediatra ou farmacêutico, pois poderão fornecer-lhe orientação nesse processo e aconselhamento sobre as melhores soluções.

Há diversas alternativas de tratamento, muitas delas inspiradas nos remédios das nossas avós, mas nem todas estão cientificamente comprovadas.

Utilização de substâncias oleosas

Uso de vaselina, óleo, linimento, etc. para amolecer a crosta láctea. Aplique na cabeça do bebé algumas horas antes do banho, depois lave o cabelo com um champô suave e escove cuidadosamente para remover as crostas.

Aplicação de óleo de amêndoas doces

O óleo de amêndoas doces é também frequentemente recomendado, sempre com o objetivo de amolecer e hidratar as crostas. Enquanto os pediatras têm por hábito recomendá-lo, os alergologistas são mais relutantes em o fazer devido ao potencial alergénico da amêndoa.

Aplicação de leite materno

Algumas mães referem que a aplicação de leite materno na crosta láctea ajuda a soltar as crostas, mas, até à data, isto não foi cientificamente comprovado.

Homeopatia

Por fim, se esses remédios não proporcionarem os efeitos esperados ou tiverem uma ação demasiado lenta, poderá também usar soluções homeopáticas para a crosta láctea em conjunto com os produtos de cuidado da pele. Não hesite em consultar o seu farmacêutico. Nem sempre é fácil administrar grânulos a um bebé, por isso, os homeopatas recomendam a diluição dos grânulos, por exemplo num pequeno biberão de 50 ml, para que o bebé possa ir tomando em várias doses ao longo do dia.