Os cuidados dermatológicos que melhoram o seu dia a dia

Quais são as causas da psoríase?

A psoríase é uma doença complexa e multifatorial. O conhecimento dos mecanismos e causas da psoriase permitem controlar melhor as crises, mas também aceitar a doença no dia a dia. De fato, a psoríase é uma doença inflamatória crónica para a qual ainda não existe um tratamento definitivo e completo. Os tratamentos disponíveis funcionam muito bem mas não evitam um novo surto, daí a necessidade de aprender a “viver com” a doença.

Placas de psoríase

A psoríase é uma doença inflamatória crónica.

A cada nova crise, os mesmos mecanismos entram em ação e depois são atenuados com a implementação do tratamento e da resolução da crise.
As placas de psoríase não aparecem isoladamente, pois são o resultado de vários fenómenos inflamatórios que acontecem na pele.Começa no infinitamente pequeno que conduz a placas bem visíveis.

As principais células em questão são, por um lado, as células imunitárias que se ativam e induzem um estado inflamatório e, por outro lado, os queratinócitos, células maioritárias da pele, que se renovam muito mais rápido que o normal: contar 21-28 dias para uma renovação clássica contra 3-5 dias no paciente portador de psoríase. Multiplicam com grande velocidade e acumulam-se na superfície da pele, daí o aparecimento de escamas nas placas de psoríase. Há certas teorias referentes aos mecanismos na origem da psoríase que dizem tratar-se de uma doença autoimune. Até que se saiba mais sobre a doença, a verdade é que a imunidade tem um papel crucial no desenvolvimento da psoríase.

A investigação sobre a psoríase é muito ativa,

Pois, permitiu nomeadamente, evidenciar o papel-chave de certas moléculas inflamatórias como o TNF-alfa (Tumor Necrosis Factor-alfa), o IL-23 (interleucina 23) e o IL-17 (interleucina 17), o que a conduziu ao desenvolvimento de vários medicamentos (anticorpos monoclonais, bioterapias). Os medicamentos mais recentes e lançados no mercado atacam o fenómeno inflamatório na sua totalidade embora tenham uma única e exclusiva molécula. Tem o nome de terapia-alvo.

Há outro importante, eixo de investigação onde é possivel verificar os genes implicados na psoriase. Por enquanto, há apenas alguns genes de predisposição que são conhecidos, ou seja, genes que evidenciam o aparecimento da doença mas sem que seja de forma sistemática ou automática. Não se conhece, no momeno atual, um “gene-psoríase”, que talvez nem exista. Quanto à transmissão da doença aos filhos, é perfeitamente possível, pois há genes que podem ser transmitidos de geração em geração.Mas, também neste caso, nada de sistemático, nada de automático! Ninguém pode prevêr com antecedência, no momento da concepção da criança ou da gravidez de uma mulher portadora de psoríase. Em contrapartida, os pais já sensibilizados à psoríase poderão mais facilmente cuidar de uma crise quando se manifesta.

 

 

Quais são os fatores que podem causar surtos de psoríase?

Na origem de uma crise de psoríase, existem geralmente um ou vários fatores. Estes são variados e sobretudo variáveis, de pessoa para pessoa e mesmo de uma crise para outra. Há certos casos, em que os fatores são claramente identificados e recorrentes por uma determinada pessoa: sendo assim, é melhor evitar o contacto com esse fator para ajudar a limitar as crises. Noutros casos, nenhum fator é realmente identificado. É perturbante e dececionante, pois procura-se sempre um “culpado” para sentir-se mais seguro e ter a impressão de controlar a situação.

Quais são esses diferentes fatores que desencadeiam ou favorecem as crises?

  • infecções, o consumo de certos medicamentos,

  • o consumo de álcool ou de tabaco,

  • o frio, o calor, o sol,

  • o cansaço,

  • os traumatismos cutâneos como uma picada de inseto, uma ferida, pancada, vacina, irritação, certas posições recorrentes (por exemplo: um pedreiro que esteja sempre apoiado nos joelhos corre maior risco de desenvolver uma psoríase nessa parte do corpo).

  • o stress é uma causa muito frequente e ocupa uma posição à parte na lista acima.

 

Psoríase devido ao estresse

Um dos fatores desencadeantes de uma crise de psoríase: o stress, mas não só…

O stress é falado com muita frequência como causa da psoríase e de outras doenças de pele. É bem verdade que pode agravar a situação, desencadear certas crises, mas o stress nunca é o único responsável! É um fator entre outros. A sua principal particularidade é ser ao mesmo tempo uma causa e uma consequência possível da psoríase. Eu estou stressada então eu “tenho” uma psoríase; eu tenho psoríase então eu fico stressada (com o olhar dos outros, para escolher uma roupa de manhã, por passar mais uma noite sem dormir por causa das comichões…). Se o stress for muito grande, é melhor procurar ajuda.

Inúmeros métodos ajudam a encontrar os recursos em si mesmo para superar as situações stressantes, como a yoga, a sofrologia… Ao contrário, uma crise de psoríase pode desencadear-se sem que o paciente consiga identificar uma fonte de stress. Certos pacientes não se sentem nada stressados e sofrem com essa associação simplista feita entre o stress e a sua doença de pele.

 



 

Nossas rotinas de cuidado

 
A minha rotina anticaspa P.S.O

Ação em placas de caspa seca com vermelhidão e prurido

Teste esta rotina A minha rotina anticaspa P.S.O > Ver a minha rotina

 
A minha rotina anti-películas P.S.O

Ação no couro cabeludo com tendência a psoríase

Teste esta rotina A minha rotina anti-películas P.S.O > Ver a minha rotina
Ver todas as rotinas de cuidados