Os cuidados dermatológicos que melhoram o seu dia a dia

Impacto psicológico da psoríase

O impacto psicológico da psoríase é geralmente muito grande. As lesões aparentes, a presença quase sistemática de escamas assim como as comichões, estigmatizam e isolam as pessoas afetadas de psoríase. Combater a psoríase é um combate de todos os instantes, um combate cansativo e desgastante, onde os resultados são às vezes decepcionantes. A consequência é o surgimento de vários distúrbios psicológicos, como por exemplo a perda da autoestima e da confiança em si mesmo.

Aprenda a viver melhor com psoríase

As dificuldades relacionais

As dificuldades relacionais atingem todos os tipos de laços: sociais, profissionais, familiares, amigáveis e amorosos. A ansiedade, o stress e a depressão podem estar igualmente associados à psoríase. Em certos casos, desenvolve-se condutas de dependência, com relação ao tabaco, ao álcool ou outras drogas. Isto é muito negativo não apenas para a pessoa mas igualmente para a doença, pois as substâncias tóxicas como o álcool e o tabaco são fatores que favorecem os surtos de psoríase 

Os distúrbios psicológicos

Os distúrbios psicológicos ligados à psoríase aparecem a qualquer idade, qualquer que seja a severidade da doença, mesmo se os casos mais severos são os mais visados. Às vezes, esses distúrbios psicológicos já estão presentes e a doença de pele vem agravá-los. O impacto psicológico da psoríase permanece infelizmente subestimado, tanto pelo grande público quanto pelas pessoas diretamente visadas, ou seja, a pessoa doente e seus próximos 

A aparência das outras pessoas

O olhar dos outros até malévolo ou cheio de piedade. Isto realmente não ajuda   a  sentir-se melhor na sua pele! Certos olhares tornam-se difíceis de suportar, certas situações são evitadas, para não ter que se justificar, explicar porque está vermelho, porque coça.

Face a uma tal situação, uma única solução: romper o isolamento e falar sobre problema, para sair do círculo vicioso no qual se corre o risco de se fecha pouco a pouco, entre a psoríase que aparece e o humor que fraqueja. Falar com as pessoas próximas, com os profissionais de saúde, com uma associação de pacientes, para aprender a viver no dia a dia com a psoríaseContar com a ajuda da família e dos amigos para entrar num processo de aceitação da doença. Esta aceitação, também chamada resiliência em psicologia, pode até ter um impacto visível sobre os sintomas e melhorar a qualidade de vida 


Em contrapartida, associar psicologia e psoríase numa mesma frase não significa que a psoríase é uma doença de ordem psicológica ou psiquiátrica! Ela não está “na cabeça”, ela está na pele. 

 

Nossas rotinas de cuidado

 
A minha rotina anticaspa P.S.O

Ação em placas de caspa seca com vermelhidão e prurido

Teste esta rotina A minha rotina anticaspa P.S.O > Ver a minha rotina

 
A minha rotina anti-películas P.S.O

Ação no couro cabeludo com tendência a psoríase

Teste esta rotina A minha rotina anti-películas P.S.O > Ver a minha rotina
Ver todas as rotinas de cuidados