Os cuidados dermatológicos que melhoram o seu dia a dia

Queda de cabelo e carências alimentares

Para crescer corretamente, o cabelo precisa de uma quantidade de vitaminas e nutrimentos suficientes. Certas carências alimentares podem ter uma incidência direta sobre a queda

Queda de cabelo e carência: o círculo vicioso

De um lado, temos as vitaminas e os minerais. Eles têm um papel fundamental no ciclo capilar normal, em particular na renovação das células do bulbo folicular e no seu ritmo de divisão rápida. Um aporte insuficiente, nomeadamente em caso de desequilíbrio alimentar, pode ser uma das causas da queda de cabelo. As carências de certas vitaminas e minerais perturbam a síntese dos cabelos, causam sua fragilidade e provocam sua queda.
 
De outro lado, temos os aminoácidos enxofrados como a metionina e a cisteína, precursores da queratina que é o principal constituinte da fibra capilar. Mas, com a idade, esses aminoácidos são mais dificilmente absorvidos e fixados, ainda que eles sejam benéficos para o crescimento do cabelo e ajudem a reforça-los.
 
É uma das razões que levam os dermatologistas a recomendar a utilização, em cura, de complementos alimentares contendo aminoácidos enxofrados. Um adjuvante que contribui para a reparação das lesões estruturais dos cabelos e desacelera a queda nos indivíduos que sofrem de alopécia. Eles são nomeadamente aconselhados para compensar a corrente queda de cabelo após a gravidez.

As diferentes carências alimentares que acentuam a queda de cabelo

Carência de ferro e queda de cabelo.

O ferro, como componente da hemoglobina, fornece energia às células durante sua divisão, resultando na síntese do cabelo. Inúmeros estudos sugerem uma ligação entre a carência marcial (com ou sem anemia) e a queda de cabelo, nomeadamente nos eflúvios telógenos (agudos ou crónicos) e na alopécia androgenética*.

Carência de zinco e queda de cabelo.

O zinco é um ativador enzimático que estimula a transformação das proteínas, que asseguram as ligações necessárias à estrutura do cabelo. Ele possui igualmente uma ação sobre o efeito queratinizante da vitamina A sobre o cabelo. A correção de uma carência de zinco favorece então um crescimento dos cabelos.

Carência de vitamina B12 e queda de cabelo.

O complexo vitamínico B comporta 8 moléculas hidrossolúveis (inclusive a vitamina B12) que têm todas um papel fisiológico essencial no metabolismo celular. As carências de vitaminas B podem estar ligadas à queda de cabelo.

Carência de vitamina D e queda de cabelo.

A exposição ao sol ajuda o corpo a sintetizar a vitamina D. A falta dessa vitamina pode ser um fator agravante da queda reacional (eflúvio telógeno agudo), nomeadamente no outono.

* Fonte: Kantor 2003, Rushton 2002, Guo and Katta 2017