Os cuidados dermatológicos que melhoram o seu dia a dia

Queda de cabelo e pílula

Certas contracepções podem ter um efeito positivo sobre o estado dos cabelos enquanto outras, ao contrário, podem ser uma causa de queda na mulher. Pílula e queda de cabelo: tudo o que é preciso saber sobre um fenómeno frequente.

Contracepção: qual o efeito sobre o cabelo?

De maneira positiva ou negativa, as hormonas têm uma influência sobre todo o organismo. E os cabelos não são poupados. Até ao contrário, as variações hormonais têm um papel preponderante sobre o estado de saúde e o aspecto geral dos cabelos. Cabelos brilhantes e robustos ou cabelos secos, sem brilho e queda de cabelo hormonal. As hormonas têm muito mais peso do que você pode imaginar! É então lógico que a contracepção como a pílula, tenha uma influência direta sobre o aspecto da cabeleira. Em causa principalmente a composição e a dosagem das hormonas presentes na pílula. Como esses critérios variam de uma pílula a outra, a contracepção hormonal pode ter um efeito negativo ou não sobre os cabelos. As pílulas de tipo estroprogestativas podem ter um efeito positivo sobre a qualidade do cabelo enquanto que o efeito androgénico dos progestativos isolados vão ter um efeito negativo.

Quando a paragem da pílula provoca a queda de cabelo

É, portanto, perfeitamente possível que exista um laço estreito entre pílula contraceptiva e queda de cabelo, esta última sendo mesmo às vezes uma causa da alopécia na mulher. A interrupção de uma contracepção progestativa terá um efeito positivo sobre a qualidade dos cabelos, enquanto que a paragem de uma contracepção à base de estrogénios e de progesterona (similar à do androgénio) também pode provocar uma queda de cabelo difusa. A queda não acontece de forma localizada em certas zonas do crânio, como no homem, mas ela se estende de forma homogénea em toda a cabeleira, com um aspecto global de perda de volume. Fala-se de eflúvio telógeno crónico. Esta queda ocorre geralmente de maneira flutuante ao longo de vários anos em mulheres de idade média, que tinham originalmente cabelos em boa saúde.

Os complementos alimentares, em particular aqueles à base de vitaminas e minerais, podem constituir uma boa opção adicional graças ao seu papel essencial na fisiologia do cabelo.