Os cuidados dermatológicos que melhoram o seu dia a dia

A queda de cabelo difusa

A alopécia difusa é uma patologia que pode aparecer em todo o crânio. Quais são as suas causas e os seus sintomas?

Queda de cabelo difusa: como a reconhecer?

Este tipo de queda de cabelo acontece de forma homogénea em toda a cabeça. É reconhecida por uma perda global de densidade e de volume em todo o couro cabeludo.

Pode tratar-se de uma queda de cabelo ocasional, inferior a 6 meses, total ou parcialmente reversível. Pode também tratar-se de uma queda crónica proveniente seja da persistência de uma queda aguda, seja de uma causa geral metabólica ou endócrina.

Existe também uma forma de alopécia localizada que, se ela for excessiva, pode ser difusa. Esta última, chamada pelos profissionais alopécia androgenética, atinge geralmente apenas certas zonas do couro cabeludo. As zonas mais afetadas: o vértice e os lobos temporais para os homens, a testa e o vértice para as mulheres.

Alopécia difusa homen e mulher: qual o tratamento?

Alopécia difusa: um tratamento será possível e eficaz? Neste caso também, tudo depende da natureza da queda. No âmbito de uma queda aguda ou crónica de causas identificadas, o tratamento consiste em tratar os fatores que podem estar na origem dessas alopécias.

Relativamente ao atendimento da alopécia androgenética, dois tipos de tratamentos medicamentosos são validados:

  • Minoxidil e os medicamentos antiandrógenos como a Finasterida (reservado aos homens). Podem ser prescritos pelo dermatologista especialista do couro cabeludo em caso de alopécia androgenética e de alopécia difusa na mulher ou no homem.
  • transplante capilar, a solução mais duradoura, mas também a mais dispendiosa. Comum entre os homens, é cada vez mais utilizada como tratamento de alopécia difusa na mulher. Como prova, o número de transplantes de cabelo femininos teria triplicado desde 2004.
 
* Fonte: Blume-Peytavi e al., 2011; Norwood, 1975